Curso de Inglês Wizard

Para a vida profissional, pessoal, para o trabalho ou lazer, o inglês é, definitivamente, um idioma essencial para a vida contemporânea. É por isso que, na Wizard, você encontra o jeito mais fácil e rápido de aprender a língua mais falada do mundo! Confira todas as opções de cursos na unidade mais próxima de você!

Metodologias

TOTS

Os cientistas afirmam que a melhor fase para se aprender um novo idioma é entre os 5 e 7 anos. Por isso, a Wizard criou um curso voltado especialmente para crianças nesta idade. Com jogos, histórias, rimas, músicas, brincadeira e teatro, a criançada aprende o novo idioma como se aprendesse seu idioma de origem, e a comunicação oral e o desenvolvimento da leitura e da escrita são trabalhados lado a lado com atividades descontraídas, confortáveis e divertidas.

KIDS

Para os pequenos com idade entre 8 e 10 anos, a diversão é obrigatória no curso Kids da Wizard. Atividades preparadas por profissionais especializados e qualificados unem brincadeiras a um ensino sério e muito eficiente. No curso Kids, as crianças desenvolvem suas habilidades de comunicação oral, compreensão e desenvolvimento da leitura e escrita.

TEENS

Na adolescência, falar um idioma fluentemente pode ser questão acadêmica, profissional, uma necessidade de quem precisa viajar ou vai fazer um intercâmbio internacional. Por isso, o curso Teens foi desenvolvido especialmente para esta fase da vida. Além de enfatizar a conversação, este curso apresenta uma gramática direcionada, que visa não só o acompanhamento escolar, como também a preparação para exames específicos, como o vestibular.

ADULTOS

Programa de Graduação Bilíngue
Para adultos de qualquer idade quem tem como objetivo tornar-se um profissional bilíngue, com uma formação sólida e certificada, a Wizard possui o Wizard University. Neste curso, que conta com material didático altamente tecnológico e sempre atualizado, o aluno passa por oito semestres de “graduação”, ampliando o vocabulário, treinando e aperfeiçoando a fluência e testando sua proficiência com as provas do TOEIC. Após a graduação, é possível cursar mais quatro semestres de “pós-graduação”, consolidando-se como um profissional bilíngue, especializado e fluente no idioma!

Por que estudar Inglês?

O inglês é, atualmente, a língua mais falada no mundo por falantes não nativos. É também a mais utilizada em publicações de livros e na Internet e em atividades comerciais entre estrangeiros de diferentes nacionalidades. Segundo o British Council, uma em cada quatro pessoas no mundo fala inglês com certa competência. No Brasil, de acordo com pesquisas, 70% das empresas internacionais buscam profissionais que falem o inglês. Outro dado relevante é que o salário de uma pessoa com bom domínio nessa língua, se comparado ao daqueles com as mesmas qualificações, pode ser de 30% a 50% maior. Estas são algumas razões bastante atraentes para aprender essa língua.

Como estudar Inglês?

Gramática, tradução, conversação e interpretação são tópicos importantes no aprendizado, não só do inglês, mas também, de muitos outros idiomas.
Na verdade, é a união desses quatro temas que fará com que o aluno domine de uma certa forma a língua inglesa.
. A gramática permitirá que o aluno comece a organizar as ideias e a construir frases.
. A tradução fará com que o estudante memorize o vocabulário além de treinar a leitura e a escrita.
. A conversação dará ao aluno mais confiança, além de melhorar a pronúncia.
. Ao construir e interpretar textos, os alunos poderão aplicar todo o conhecimento da língua.
Claro que para um bom resultado é preciso que o aluno tenha realmente um interesse e empenho nos estudos.
A língua inglesa é repleta de “pegadinhas” e gírias e existem dicionários especializados para a compreensão do idioma. Na internet, esses dicionários somente de gírias e expressões urbanas são conhecidos como “Slang Dictionaries” e são de extrema importância para o conhecimento geral da língua. Para quem trabalha com tradução, esses dicionários (virtuais ou não) são essenciais para o sucesso no trabalho.

Exames de proficiência em Inglês

As certificações internacionais têm a finalidade de comprovar seu nível de conhecimento e desenvoltura na língua. São solicitadas pelas maiores universidades e empresas do mundo. No Brasil, são inúmeras as empresas que exigem uma certificação dessas de seus funcionários ou futuros funcionários. Ou seja, no mercado de trabalho e no mundo acadêmico, ter uma certificação internacional faz toda a diferença.
Entre os principais e mais aceitos exames internacionais estão: TOEFL e TOEIC, ambos administrados pela ETS; FCE, CAE e CPE, administrados pela University of Cambridge; e o IELTS administrado por British Council, IDP e University of Cambridge. Cada um desses exames possui uma característica e público específico. O TOEIC é mais solicitado em empresas, órgãos governamentais, cursos de graduação em alguma universidade, etc.

História da Língua

Com uma história de cerca de 1500 anos, o inglês surge com os idiomas falados pelos povos germanos que a partir do século V ocupavam onde é a atual Inglaterra, com destaque para os Anglos e os Saxões. O idioma que começou a nascer nas ilhas britânicas a partir de então recebe o nome de "Old English", "Anglo-Saxão" ou ainda "Englisc" no original, significando "língua dos anglos".

A língua inglesa tem sua origem e evolução em três períodos distintos:

  • Old English - a primeira forma do idioma, em voga entre os séculos V e XI
  • Middle English - seu desenvolvimento médio, do séculos XI ao XVI
  • Modern English - a forma moderna do idioma, do século XVI aos dias atuais

O vocabulário da língua evoluiu gradualmente, e com a introdução do cristianismo ocorre a primeira influência de palavras do latim e do grego. Mais tarde, invasores escandinavos que falavam o nórdico antigo (old norse, língua que provavelmente assemelhava-se ao dialeto falado pelos povos anglo-saxões) também influenciou o inglês. O Old English é uma língua preservada em diferentes fontes, como inscrições rúnicas, traduções bíblicas complexas e fragmentos diversos.

A maior diferença entre o Old e Middle English está na gramática. Acredita-se que o estágio seguinte da língua, o Middle English inicia-se com a batalha de Hastings, em 1066, onde o rei William o conquistador derrotou o exército dos anglo-saxões e impôs suas leis, seu sistema de governo e sua língua, a francesa. Desse modo, novas palavras são incorporadas à língua falada pelas pessoas comuns, isto é, por servos e escravos. Mais tarde, muitos dos novos termos passaram a ser usados na corte e no militarismo adquirindo, portanto, um elevado status social.

Já o inglês moderno, como conhecido pela obra de William Shakespeare, em geral é datado a partir de 1550, quando a Grã-Bretanha se tornou um império colonial, espalhando-se por todos os continentes.

Em geral, a diferença entre o Old e o Modern English está na forma escrita, na pronúncia, no vocabulário e na gramática. Comparado ao inglês moderno, o Old English é uma língua quase irreconhecível, tanto na pronúncia, quanto no vocabulário e na gramática.

Países onde o Inglês é a língua oficial

Não necessariamente o país que adota a língua inglesa como oficial, a utiliza no dia a dia. Então costuma-se dividir entre os países que têm o inglês entre oficial de facto e oficial de jure. Os países com adoção de jure e de facto são somente: Estados Unidos, Reino Unido e Nova Zelândia. Todos os demais são apenas de jure.

Veja os países:

Antígua e Barbuda, Austrália, Bahamas ,Barbados, Belize, Botswana, Canadá, Ilhas Fidji, Gâmbia,Gana, Granada, Guiana, Índia, Irlanda, Jamaica, Queria, Kiribati, Libéria ,Malai, Malta, Ilhas Marshall, Ilhas Maurícias, Micronésia, Namíbia, Nova Zelândia, Nigéria, Paquistão, Ilhas Palau, Panamá, Papua Nova Guiné, Filipinas, Ruanda, Saint Kitts e Nevis, Santa Luzia, São Vicente e Granadinas, Seychelles, Serra Leoa, Singapura, África do Sul, Suazilândia, Tanzânia, Trinidade e Tobago, Reino Unido, Estados Unidos, Vanuatu, Zâmbia e Zimbabwe.